Notas e Fragrâncias

Guia sobre Fragrâncias — Origem, Classificação dos Aromas, Notas Olfativas e Muito Mais

Os perfumes e seus derivados são produtos bastante complexos. Isso porque eles possuem diversos ingredientes em sua formulação e, é necessário todo um processo para chegar no resultado final. Além disso, há várias categorias de fragrâncias, denominadas de acordo com a concentração de essência.

No post de hoje, vamos entender melhor como se dá esse processo, a constituição do perfume, as matérias-primas, notas olfativas e muito mais. Se você gosta de saber mais sobre esse assunto, continue a leitura do post.

A Origem do Perfume

De acordo com alguns estudos, os frascos mais antigos de perfume que se tem notícia são de 5000 a.C., fabricados na Mesopotâmia e no Egito com alabastro (um tipo de rocha) e pedra.

Os perfumes eram muito utilizados pelos egípcios em rituais religiosos, em que faziam a aplicação de bálsamos perfumados nas múmias durante o embalsamento, pois acreditavam que os aromas garantiam a eternidade do corpo e do espírito.

Além disso, acredita-se que a rainha Cleópatra cultivava o hábito de perfumar os pés com um líquido preparado com extratos de amêndoa, canela, flores de laranjeira e mel e untava as mãos com um óleo extraído de rosas e violetas.

Os egípcios também tinha o hábito de queimar plantas, incensos, mirra, canela, etc,e criar uma fumaça aromática em seus rituais religiosos, o que acabou originando o nome do perfume, que deriva do latim “Per Fumum” que significa “através do fumo”.

Foi na Índia e Arábia que surgiram os primeiros mestres perfumistas, que produziram elixires a partir de plantas e animais, com finalidades cosméticas e terapêuticas. O médico e filósofo Avicena (980 – 1073) foi quem descobriu, casualmente, o processo de destilação de óleos essenciais de rosas, criando a Água de Rosas.

Na Grécia foi criada uma técnica em que se mergulhavam flores e ervas em óleo e em vinho. Dessa forma, os gregos começaram a entender que ao se macerar as flores era possível extrair os aromas e, a mistura com óleo e álcool do vinho, fazia com que os aromar permanecessem por mais tempo. Afina, o perfume nada mais é que uma mistura de óleos essenciais e aromáticos, misturados com álcool e a água.

Desde a Antiguidade, os perfumes sempre foram um privilégio para pessoas nobres e aristocratas, devido à dificuldade para se obter as fragrâncias. Essa “moda” do perfume começou a se popularizar mesmo no Renascimento, na Itália, e a partir de então essa indústria passou a crescer de forma estrondosa, e passaram a ser desenvolvidos novos processos de extração de essências, principalmente das espécies vegetais.

Atualmente, o termo “perfume” é empregado para se referir a todas as soluções perfumadas, independente da concentração. Contudo, como trouxemos no post categorias das fragrâncias, o termo deve ser usado apenas para se referir à versão mais concentrada da fragrância.

Constituição dos Perfumes

A fragrância de um perfume, segundo uma análise química, é uma complexa mistura de substâncias extraídas principalmente de plantas e, em alguns casos, até de alguns animais.

Já as essências, são óleos que possuem um aroma principal, que pode ser proveniente de flores, musgos, plantas, arbustos, etc. e, também contêm água, álcool, filtro ultravioleta para manter a cor e, antioxidantes que evitam a oxidação dos óleos.

Classificação dos Aromas

As fragrâncias têm em sua composição uma combinação de aromas de diversos ingredientes, que compõem as notas de um perfume. Pode-se utilizar diversas concentrações desses aromas na preparação das fragrâncias. Os aromas podem ser divididos em:

  • Florais: em geral, com notas dominantes de flores-do-campo. São fragrâncias românticas, adocicadas e delicados.
  • Aldehydes-florais: associam a um dominante floral, um frescor inicial característico, proveniente de aldeídos.
  • Verdes: a fragrância lembra o aroma de folhas colhidas. Os perfumes desta família são frescos, jovens e estimulantes.
  • Chypress: uma combinação clássica de bergamota, de flores como jasmim, rosa ou ylang-ylang e, um fundo quente de musgo de carvalho e de âmbar. Estas fragrâncias se caracterizam por ser quentes, sensuais e sofisticadas.
  • Orientais: fragrâncias fortes, com base de âmbar e baunilha. Seus aromas lembram o oriente e são exóticos e marcantes.
  • Cítricos (ácidos): contém extratos de cascas de frutas cítricas como: limão, mandarina, laranja e bergamota. Esses aromas são ideais para criar águas de colônia refrescantes.
  • Amadeirado(seco): feitos com o odor de madeiras nobres como cedro, patchouli e sândalo, que dão à fragrância um toque de masculinidade e elegância.

Matéria-Prima

Os ingredientes utilizados para extrair os aromas das fragrâncias, podem ser de origem animal ou vegetal. Confira a seguir cada um deles.

Vegetais

Confira a seguir, alguns dos principais ingredientes de origem vegetal utilizados na composição das fragrâncias:

  • Flores: tuberosa, rosa, flor de laranjeira, jasmin, lavanda e ylang-ylang;
  • Caules e folhas: gerânio e hortelã;
  • Frutos: limão, bergamota, laranja e tangerina;
  • Cascas dos frutos: laranja e limão;
  • Sementes: aipo e salsa;
  • Raízes: íris, vetiver e âmbar;
  • Espinhos e ramos: pinheiro e cipreste;
  • Ervas aromáticas e especiarias: estragão, tomilho, anis e menta;
  • Grãos: coentro, fava tonka (cumaru) e ambrete.
  • Resinas e bálsamos: mirra e incenso;
  • Madeiras: sândalo e cedro;
  • Cascas: canela e bétula;
  • Musgos: de carvalho.

Animais

Já os ingredientes de origem animal, são caracterizados por serem bons fixadores. As mais usadas são:

  • Almíscar ou Musk: produzido pelas glândulas sexuais do veado-almiscarado macho do Tibete;
  • Castóreo ou Castore: produto oleoso segregado pelos castores da Rússia e do Canadá;
  • Âmbar cinzento ou Âmbar gris: cálculo renal que o cachalote rejeita naturalmente no litoral;
  • Algália: secreção glandular do gato-de-algália ou gato-bravo da Etiópia, retirada por curetagem anal.

Atualmente, as matérias-primas de origem animal estão sendo substituídas por aromas vegetais ou sintéticos, com o objetivo de proteger os animais.

Métodos de Extração

Há várias formas de se extrair a essência dos ingredientes, para constituir os óleos aromáticos que darão origem às fragrâncias. Confira a seguir os principais métodos de extração:

Destilação

A destilação é um dos processos mais antigos de extração. Ele consiste na evaporação da água em alambiques, para capturar os elementos voláteis aromáticos de uma flor, resina ou raiz. De acordo com a sensibilidade do ingrediente, pode haver variações do método, podendo ser: destilação a vapor, hidrodestilação, destilação a vapor seco e destilação fracionada.

Uma curiosidade interessante sobre a destilação, é no processo de obtenção do óleo essencial das flores. Para extrair 1 kg de óleo essencial de Rosa, são necessárias 3 toneladas de pétalas. Já para o óleo de flor de Jasmim, são necessárias cerca de 10 000 pequenas flores colhidas antes do nascer do sol, para produzir 1 kg do absoluto de Jasmim.

Enfloragem (Enfleurage)

As flores ou pétalas são colocadas sobre placas de vidro cobertas com gordura, que faz a função de absorver a essência das flores. Neste processo, 1 kg de gordura pode absorver 3 kg de flores.

Solventes

No lugar da gordura, são usados solventes. Neste processo, 3,5 kg de rosas podem produzir 1 kg de essência de rosa.

Maceração

O processo de maceração pode ser diferente em cada perfumaria, há diversas técnicas para se extrair os aromas através deste processo, conheça a seguir as principais:

  • Em temperatura ambiente: nesta opção, a fragrância deve ficar em um recipiente protegido da luz e totalmente vedado — para que não tenha contato com o oxigênio — por um determinado número de horas. Na sequência, ainda protegido da luz, o recipiente deve ficar aberto. Essa rotina é repetida ao longo de alguns dias, até que a fragrância esteja pronta para uso.
  • Por refrigeração alternada: já nesta opção, é feito um processo de choque térmico: a fragrância é refrigerada por um período e, em seguida, volta para a temperatura ambiente. Esse procedimento deve ser repetido por alguns dias (de acordo com cada perfumaria) até que esteja pronto. O processo pode variar de acordo com as notas da fragrância.
  • No escuro completo: aqui, a fragrância deve ficar armazenada em um frasco ou recipiente através do qual não passe luz. Esse processo pode ser um pouco mais demorado que os demais.

Há ainda a opção de mesclar diferentes processos, para garantir um resultado específico e uma fragrância mais complexa. Isso varia de acordo com aquilo que os (as) perfumistas pretendem alcançar como resultado.

Notas Olfativas

As fragrâncias possuem uma estrutura complexa por trás do resultado final do aroma. Elas possuem diferentes notas olfativas, que garantem um perfume único em contato com a pele de cada pessoa.

Mas o que são essas tais notas olfativas? Elas são as responsáveis pelo aroma das fragrâncias se transformarem em nossa pele ao longo das horas. Essas notas são classificadas de acordo com a ordem em que a fragrância evapora, elas são conhecidas como: notas de saída, notas de coração e notas de fundo.

O que classifica uma fragrância dentro de uma família olfativa, são as notas predominantes nela. Contudo, as fragrâncias não precisam pertencer a somente uma família olfativa, elas podem pertencer até duas ou três.

A regra básica para isso é: a primeira família olfativa citada é a principal, as demais, servem de complemento à fragrância, por exemplo: perfume floral/frutal, floral/amadeirado, etc.

Confira a seguir, cada uma das notas olfativas presentes nas fragrâncias:

Notas de Saída / Cabeça

As notas de saída de uma fragrância são as primeiras a serem sentidas, pois, são mais voláteis (evaporam mais rapidamente). Elas também são responsáveis pela impressão inicial da fragrância ao ser aplicada e costumam ser leves e frescas, contudo, também podem ser cítricas ou herbais. As notas de saída duram apenas alguns minutos na pele e compõem de 15 a 20% do aroma da fragrância.

Notas de Coração / Corpo

As notas de coração das fragrâncias evaporam mais lentamente do que as notas de saída. Elas dão personalidade ao perfume e constituem o corpo da fragrância, representando de 50 a 60% do aroma. São elas que costumam exalar na pele quando o perfume começa a ser absorvido. Geralmente, fazem parte desse grupo os aromas florais e frutais.

Notas de Fundo / Base

As notas de fundo são a parte da fragrância que mais fixam na pele, portanto, são as últimas que permanecem em nosso olfato, levando cerca de quatro a cinco horas para serem percebidas. Elas compõem entre 20 e 30% da essência.

Elas também são denominadas as notas ‘fixadoras' da fragrância e permanecem por ao menos 8 horas. As essências desse grupo são mais oleosas e densas, vindas de madeiras como cedro e pinho, e especiarias como gengibre, noz-moscada, etc.


O olfato é considerado o nosso sentido mais primitivo. As mensagens olfativas são enviadas para áreas do cérebro que são associadas à emoção, à criatividade e à memória. Por isso, as fragrâncias são algo tão marcante para nós.

Você tem uma fragrância favorita? De que tipo ela é, floral, cítrica, amadeirada? Conte para nós aqui nos comentários! Continue acompanhando o Guia Make para saber mais sobre Perfumes, Unhas, Maquiagem e muito mais.