Selos Cosméticos

Descubra o Significado dos selos presentes na Embalagem dos seus Cosméticos

Atualmente, as pessoas estão cada vez mais conscientes a respeito dos ingredientes presentes em seus cosméticos. Isso se dá por diversas razões como o veganismo, preocupação com questões ambientais, saúde, entre outros.

É obrigação das marcas identificar nos produtos todos os ingredientes presentes na sua formulação, assim como quais selos o cosmético possui, que comprovam a credibilidade e responsabilidade da empresa.

No post de hoje, vamos falar sobre esses selos, o que são, para que servem, o que significam e muito mais. Se você gosta desse assunto e está sempre antenada (o) na composição dos produtos que consome, assim como na responsabilidade ambiental das marcas e com os (as) consumidores (as), confira o texto até o final.

O que são os Selos?

Muito tem se falado sobre a mudança no comportamento das pessoas com relação ao impacto ambiental do consumo e, isso é muito bom! Cada vez mais, os produtos naturais, orgânicos, veganos, etc, estão sendo buscados nas prateleiras dos estabelecimentos ou comércio eletrônico.

Pequenas e grandes marcas, conscientes desse movimento, estão repensando a formulação de seus produtos, suas embalagens e o impacto ambiental que a empresa gera na produção dos cosméticos.

A fim de garantir que as marcas se responsabilizam pela fabricação dos produtos, foram criados selos certificados por algumas organizações, que garantem ao consumidor que o produto realmente apresenta os requisitos indicados.

Dessa forma, quando as marcas cumprem com as especificações determinadas, são autorizadas a estampar os selos dessas organizações nos rótulos e embalagens de seus produtos.

Porque é importante ter um Selo?

Com o crescimento da demanda por produtos mais sustentáveis e ecológicos, diversas marcas aproveitaram esse momento para entrar nesse mercado sem que seus produtos de fato atendessem aos requisitos necessários.

Por isso, as empresas passaram a adotar os selos para que pudesse haver uma fiscalização que garantisse que apenas cosméticos certificados pudessem aderir a esse mercado e ser reconhecidos como empresas responsáveis e conscientes.

O selo facilita a vida do (a) consumidor (a), pois, ao identificar a certificação na embalagem, é possível associá-lo com as características do produto cosmético. Dessa forma, a pessoa não precisa mais ficar lendo os ingredientes para tentar descobrir se o produto é ou não vegano, se contém glúten, se a embalagem é reciclável, etc.

Ainda não existe no Brasil, assim como em muitos países, uma regulamentação oficial para cosméticos naturais e orgânicos. Podemos dizer que esse é um tema relativamente novo e ainda há muito a ser estudado em relação a isso.

Contudo, um excelente primeiro passo é inserir os selos de certificação nos produtos, que nos oferecem mais segurança na hora de adquirir um produto, por ter uma comunicação mais explícita que mostra que a marca está comprometida.

Principais Selos para Cosméticos

Confira a seguir, quais são os principais e mais conhecidos selos para certificar cosméticos:

COSMOS

O COSMOS (Cosmetic Organic Standard) é um referencial europeu privado que foi desenvolvido de forma conjunta por cinco Organismos de Certificação:

  • BDIH (Alemanha).

  • Cosmebio (França).

  • Ecocert SA — Ecocert Brasil.

  • ICEA (Itália).

  • Soil Association (Grã-Bretanha).

Todos eles estão associados sob a tutela da AISBL, uma organização internacional sem fins lucrativos situada em Bruxelas, que tem como propósito estabelecer requisitos mínimos comuns para certificar cosméticos naturais e orgânicos. Para isso, o COSMOS adota os seguintes princípios:

  • Promover o uso de ingredientes da agricultura orgânica;
  • Adotar processos de produção e manufatura ambientalmente corretos e seguros para a saúde humana;
  • Embalagens biodegradáveis ou recicláveis.

NATRUE

Essas regras, assim como no referencial Cosmos, tratam das matérias-primas utilizadas até a fabricação do produto final. Para produtos que são vendidos somente no mercado nacional, geralmente é usado o selo do IBD.

A NaTrue (The International Natural and Organic Cosmetics Association) é uma organização internacional sem fins lucrativos, situada em Bruxelas. Ela desenvolve padrões para o desenvolvimento de cosméticos naturais e orgânicos desde 2007.

O selo NATRUE, certifica os cosméticos e assegura a qualidade natural e orgânica dos ingredientes presentes em sua formulação, assim como a utilização de processos produtivos sustentáveis e não agressivos ao meio ambiente.

Isso significa que uma certificação NATRUE, garante que não foram utilizados nos produtos: fragrâncias e corantes sintéticos, produtos derivados do petróleo (parafinas, PEG, -propyl-, -alkyl-, etc.), silicone e derivados, ingredientes geneticamente modificados (em conformidade com legislação da UE), irradiação de produtos finais e ingredientes botânicos.

Além disso, o selo ainda assegura que os produtos não foram testados em animais. De acordo com os parãmetros do selo NATRUE, os cosméticos são divididos em três níveis:

1 — Cosméticos naturais: os ingredientes devem ser naturais, mas não necessariamente vindos de agricultura biológica. Além disso, os ingredientes naturais podem ser processados apenas de acordo com um número limitado de processos produtivos. Para cada tipo de produto, é preciso ser respeitado o limite mínimo de ingredientes naturais e um limite máximo de substâncias naturais derivadas.

2 — Cosméticos naturais com parte orgânico: é preciso que, no mínimo, 70% dos ingredientes sejam naturais (e/ou derivados dos naturais), e devem ser oriundos de produção biológica controlada e/ou colheita selvagem controlada. Se comparado com o nível 1, ele exige um nível mínimo mais elevado de ingredientes naturais e um nível máximo mais baixo de ingredientes naturais derivados.

3 — Cosméticos Orgânicos: precisam contem ao menos 95% de ingredientes naturais (e/ou derivados dos naturais), devem ser vindos de produção Orgânica controlada e/ou colheita selvagem controlada. Além disso, o nível mínimo de ingredientes naturais é mais elevado que o do segundo nível.

IBD

O selo IBD possui normas próprias para certificação, chamadas “Diretrizes para Padrão de Qualidade Orgânico Instituto Biodinâmico”. Essas Diretrizes são baseadas em normas europeias, portanto, podem ser aplicadas para produtos destinados ao mercado brasileiro ou para exportação. Confira a seguir as classificações de certificação:

Cosmético Orgânico

Para ser certificado como orgânico com o selo IBD, o cosmético precisa ser formulado com pelo menos 95% de matéria-prima certificada orgânica ou FSC (Forest Stewardship Council, ou Conselho de Manejo Florestal), sem contar a água e o sal.

O restante da formulação, pode ser composto por matérias-primas naturais, permitidas para formulações orgânicas. Os cosméticos orgânicos devem ter a indicação de quais são as matérias-primas orgânicas presentes nos produtos.

No rótulo da embalagem, junto com o selo, deverá conter uma frase indicando que a certificadora certifica produtos orgânicos de acordo com as normas internacionais, além de conter também o código do projeto.

Cosmético produzido com Ingredientes Orgânicos

Para ser certificado nessa modalidade, o cosmético deve ao menos 70% de ingredientes certificados orgânicos ou FSC, sem contar a água e o sal. O restante da formulação, pode ser composto por matérias-primas naturais, permitidas para formulações orgânicas.

Cosmético Natural

Para ser certificado como um cosmético natural, ele precisa conter ao menos 5% de matérias-primas certificadas orgânicas ou FSC. O restante da formulação (95%), pode ser composta por matérias-primas 100% naturais, permitidas para formulações naturais.

Critérios necessários para a certificação IBD

Confira a seguir, os critérios utilizados para a obtenção do selo:

  • Preservar as qualidades originais das matérias-primas;
  • Causar o menor impacto possível ao ambiente, tanto na produção como no uso e descarte;
  • Ter alta qualidade e um rótulo claro e de fácil leitura para os consumidores;
  • Não ser testado em animais;
  • Ser seguro para seres humanos;
  • Receber inspeções no local de produção anualmente;
  • Só podem ser usados produtos de origem animal que sejam obtidos como subprodutos (como mel e leite, por exemplo). É proibido o sacrifício de animais para a obtenção de matérias-primas.

Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB)

O programa de certificação que confere o selo de produto Certificado Vegano, foi criado em 2013 e é bastante reconhecido nacionalmente. O selo é atribuído de forma individual a cada produto, e não a uma empresa ou marca. Os critérios utilizados para fornecer o selo são:

  • Produtos isentos de ingredientes de origem animal;
  • Empresa que não testa produtos em animais;
  • Fabricantes e fornecedores dos ingredientes utilizados também não realizam testes em animais.

PETA

O PETA (Pessoas para o Tratamento Ético de Animais) é uma ONG fundada nos anos 80, reconhecida hoje, como a maior organização de direitos dos animais do mundo. A organização reúne membros das comunidades científicas, corporativas e legislativas ao redor do mundo, para garantir o direito dos animais e também para fiscalizar as empresas certificadas.

O PETA fornece dois selos: o “PETA Approved Vegan” e o “Cruelty Free”. Conheça a seguir o que é cada um deles:

Cruelty-free (livre de crueldade)

Este selo garante que os produtos não são testados em animais em nenhum estágio do seu processo de desenvolvimento e produção, tanto de forma direta quanto indireta (empresas terceirizadas para algum processo).

Além disso, os produtos também não possuem matérias-primas testadas em animais. Contudo, eles podem conter ingredientes de origem animal, como, por exemplo, mel e queratina, desde que sua obtenção não cause sofrimento ao animal.

Approved Vegan

Este selo certifica que, além dos produtos não serem testados em animais, também não possuem nenhum ingrediente de origem animal em sua composição. Assi, o produto é considerado vegano. Este selo equivale ao Selo Vegano da SVB.

USDA

Este é o selo do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos. Para consegui-lo, o produto precisa conter entre 95% a 100% dos ingredientes presentes em sua formulação, certificados orgânicos.

VEGAN

A Vegan Action é uma instituição americana. Seu selo garante que os cosméticos não contêm produtos ou subprodutos de origem animal, além de também não serem testados em animais

Ecolabel Brasil Falcão Bauer

Este selo é uma certificação ecológica que é atribuída a todos os produtos e cosméticos biodegradáveis, que garantem um menor impacto ambiental durante o seu ciclo de vida. Ele possui reconhecimento internacional e atende às normas do ISO 14024, sendo associado ao GEN — Green Ecollabeling Network.

Ele foi criado pelo Instituto Falcão Bauer da Qualidade (IFBQ), que atua no Brasil através do processo de Avaliação da Conformidade, com base em normas nacionais, internacionais ou regulamentos técnicos.

Gluten Free

Este selo é reconhecido em 27 países e indica aos consumidores que os produtos são produzidos com ingredientes livres de glúten, além de não terem risco de contaminação cruzada, pois seguem um rigoroso controle de qualidade, que garante que os passos seguidos na cadeia produtiva não contaminem o produto.

Principais selos para Embalagens

Conheça os selos que estão relacionados com as embalagens dos produtos:

FSC

O selo FSC (Conselho de Manejo Florestal, sigla em inglês) não está associado à formulação dos produtos, mas sim às embalagens. Ele certifica que os papéis e embalagens utilizadas são recicláveis e biodegradáveis, provenientes de madeira reflorestada ou outras fontes controladas. Além disso, o processo produtivo também precisa ser ecologicamente correto.

Eureciclo

Este selo é um certificado nacional para marcas que se comprometem com a cadeia de reciclagem, através da compensação ambiental de suas embalagens. Isso quer dizer que não necessariamente a embalagem que leva o selo será reciclada, mas que a empresa financia a reciclagem de uma embalagem de mesma massa e grupo de material (vidro, papel, plástico ou metal).

Para que uma empresa obtenha o selo, ela precisa fazer a compensação de no mínimo 22% das embalagens comercializadas.


Segundo a Ecocert, atualmente, a certificação de cosméticos orgânicos de acordo com a Lei 10.831/2003 (regulamento orgânico brasileiro) está indefinida. Isto porque a Instrução Normativa específica ainda não foi publicada pelo MAPA/ANVISA.

Devido aos parâmetros da certificação dos cosméticos ainda ser tão indefinida, principalmente no Brasil, certamente há vários outros selos de organizações espalhadas pelo mundo. Reunimos aqui as mais importantes, que você pode usar como base quando quiser comprar produtos veganos, livre de crueldade animal, orgânicos, etc.

Esperamos ter ajudado com esse post! Se você gosta desse tipo de conteúdo mais informativo, deixe aqui nos comentários, que podemos trazer outros como este.