Foliculite

Foliculite: Saiba tudo sobre esse problema na pele e como tratá-lo!

Quando pensamos nos cuidados diários com a pele, é importante lembrar que isso não se trata apenas de cosméticos, mas sim de cuidados como um todo. Esses cuidados são capazes de proteger a nossa pele de diversos problemas que podem ocorrer com a falta de alguns cuidados.

Entre esses possíveis problemas está a Foliculite, que você saberá mais a seguir!

O que é Foliculite?

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a Foliculite é uma infecção de pele que se inicia nos folículos pilosos, responsáveis pela produção e crescimento dos pelos.

Ela costuma acontecer decorrente de infecções bacterianas ou fúngicas, mas também pode ser causada por vírus. Também é bastante comum acontecer devido à inflamação de pelos encravados, decorrente principalmente de alguns processos de depilação.

A foliculite aparece como pequenas espinhas de pontas brancas, ao redor de um ou mais folículos pilosos. A maioria dos casos costuma ser superficial, mas as lesões também podem coçar e doer, principalmente em peles mais sensíveis.

Sintomas

A foliculite pode ocorrer de forma superficial, afetando apenas a parte superior do folículo piloso, ou pode ser profunda. Os principais sintomas são:

  • Surgimento de pequenas espinhas vermelhas, com ou sem pus;
  • Vermelhidão na pele com ou sem inflamação;
  • Coceira e sensibilidade na região.

Não é comum acontecerem casos graves de foliculite, contudo, quando a inflamação atinge áreas mais profundas da pele, pode haver a formação de furúnculos. Nestes casos, os sintomas podem ser: grandes áreas avermelhadas; lesões elevadas com pus amarelado no meio; sensibilidade e dor moderada a intensa na região, podendo levar à formação de cicatrizes e destruição do folículo piloso.

Causas

Qualquer pessoa pode ter foliculite, mas existem alguns fatores que facilitam o surgimento da infamação, tais como:

  • Doenças que diminuem a imunidade (como diabetes), leucemia crônica, entre outras;
  • Pessoas que apresentam acne recorrente ou dermatite;
  • Quem faz uso de medicamentos à base de corticoides ou antibióticos por um longo período;
  • Pessoas acima do peso, entre outros.

Além disso, há ainda algumas situações que podem facilitar o dano folicular e acabar ocasionando o surgimento da foliculite, tais como:

  • Fricção ao se barbear ou depilar;
  • Uso de roupas apertadas;
  • Calor e suor excessivo;
  • Condições da pele, como dermatites e acne;
  • Lesões na pele por arranhões ou feridas cirúrgicas;
  • Curativos de plástico ou fita adesiva em contato com áreas de pelo.

Quais os tipos de Foliculite?

De acordo com a SBD, há diversos tipos de foliculite, que podem variar conforme as causas, local do corpo e gravidade das lesões. Confira a seguir quais são os principais deles:

Foliculite Estafilocócica

Este é o tipo mais comum de foliculite e ocorre quando os folículos pilosos são infectados por bactérias. Ela é caracterizada por coceira, vermelhidão local e pus, e pode aparecer em qualquer região do corpo que possua pelos.

As bactérias são microrganismos que vivem na pele o tempo todo, contudo, quando entram em contato com cortes ou outros ferimentos, podem causar problemas como a foliculite e outros.

Foliculite por pseudomonas (foliculite da banheira quente)

As bactérias conhecidas como Pseudomonas aeruginosa se proliferam em ambientes aquáticos em que os níveis de cloro e o pH não são bem regulados, como banheiras de hidromassagem e piscinas aquecidas.

Neste caso, a infecção pode se manifestar entre oito horas e cinco dias após a exposição à bactéria, com o surgimento de erupções vermelhas, coceira e em alguns casos até mesmo bolhas com pus. As regiões do corpo que ficam úmidas por mais tempo devido à roupa de banho, são as mais suscetíveis à infecção.

Pseudofoliculite da barba

Como o nome indica, trata-se da inflamação dos folículos pilosos na região da barba. Isso acontece quando os pelos retirados se curvam e voltam para o interior da pele durante o crescimento.

Em casos agravados, ela pode evoluir para uma Sicose barba, pequenas inflamações que surgem como pústulas e costumam aparecer no lábio superior, queixo e mandíbula. Elas podem se tornar recorrentes com o barbear diário e, em alguns casos, pode, até mesmo deixar cicatrizes.

A pseudofoliculite é mais comum em homens, na região da face e pescoço. Contudo, ela também pode ocorrer em pessoas que fazem depilação com cera na região da virilha, processo que pode levar a uma inflamação e até mesmo deixar cicatrizes.

Foliculite Ptirospórica

Este tipo de foliculite é mais comum em adolescentes e homens adultos. Ela é causada por um fungo que ocasiona espinhas, pápulas avermelhadas e coceira, que podem aparecer em regiões como dorso, tórax anterior, pescoço, ombros, braços e face.

Foliculite por bactéria gram-negativa

Ela costuma se desenvolver quando a pessoa utiliza antibióticos por um longo período para tratar a acne. Isso acontece, pois, esses medicamentos alteram o equilíbrio normal da pele, facilitando o desenvolvimento de bactérias gram-negativas.

Na maioria dos casos, as lesões são moderadas e costumam sumir após o término do tratamento com a medicação. Entretanto, em alguns casos as lesões podem se espalhar pela face e acabar se agravando.

Furúnculos e carbúnculos

Este tipo de foliculite pode ocorrer quando os folículos pilosos são infectados por bactérias estafilocócicas. Em geral, o primeiro sintoma é o surgimento de pápulas vermelhas e doloridas, podendo resultar em vermelhidão na pele ao redor das lesões. As lesões menores, costumam curar sem deixar cicatrizes.

Contudo, com o seu desenvolvimento, as lesões podem acabar acumulando pus e crescendo gradualmente (furúnculo), aumentando também a dor. Em um estágio mais agravado, elas podem até mesmo romper e liberar secreções. Já as lesões menores, costumam curar sem deixar cicatrizes.

O carbúnculo, por sua vez, é um aglomerado de furúnculos que costuma aparecer na parte posterior do pescoço, ombros, costas e coxas. Elas são infecções mais graves e profundas, que costumam deixar cicatrizes.

Tratamento: O que é bom para foliculite?

Em geral, nos casos mais comuns de foliculite a inflamação do pelo cura sozinha com o tempo. Contudo, nos casos mais graves e recorrentes, é fundamental buscar a orientação de um (a) dermatologista, para evitar o agravamento das lesões e acarretar possíveis cicatrizes.

O (a) profissional pode diagnosticar a foliculite com um exame físico em que irá observar as lesões. Nos casos mais graves com secreções, é importante realizar um exame de laboratório para uma avaliação mais precisa.

Nos casos mais persistentes ou recorrentes de foliculite, são indicados tratamentos específicos, conforme orientação médica, que dependerá do tipo e da gravidade da infecção. Confira a seguir algumas indicações de tratamento:

  • Foliculites bacterianas: podem ser tratadas com antibiótico tópico, oral ou uma combinação de ambos. Também é recomendado evitar raspar os pelos da região até o controle da infecção.
  • Pseudofoliculite da barba: é recomendado trocar a lâmina de barbear por um barbeador elétrico, utilizando água morna ao barbear-se e massageando os pelos para amolecê-los. Além disso, o barbeador deve ser passado sempre no sentido do crescimento dos pelos e, ao finalizar, é importante aplicar um hidratante na região.
  • Foliculite Pitirospórica: para este tipo de foliculite, costumam ser indicados antifúngicos tópicos ou orais.
  • Furúnculos e carbúnculos: pode ser necessário drenar a infecção com uma pequena incisão para aliviar os sintomas. Além disso, podem ser recomendados antibióticos para o tratamento.

Como prevenir a Foliculite

A SBD indica algumas recomendações de como prevenir os pelos encravados e o consequente surgimento da foliculite. Vale lembrar que o pelo encravado é a principal causa da foliculite, que pode ocorrer quando o pelo não nasce corretamente e acaba crescendo internamente e causando uma inflamação do folículo piloso, acarretando lesões que podem infeccionar.

Confira a seguir algumas dicas:

  • Mantenha a pele sempre limpa e seca;
  • Procure fazer esfoliações corporais regularmente para evitar o encravamento dos pelos;
  • Procure tratar de imediato qualquer tipo de escoriação ou irritação na pele;
  • Prefira a depilação com cera, egípcia, entre outras técnicas que arranquem os pelos desde a raiz;
  • Evite o uso diário de produtos antissépticos na pele, pois eles podem deixar a pele ressecada e eliminar as bactérias protetoras;
  • Mantenha a pele hidratada;
  • Tenha cuidado ao se barbear. Procure utilizar um gel, espuma ou sabão para lubrificar as lâminas e evitar cortes na pele;
  • Evite o uso prolongado de roupas justas e úmidas (como roupas de banho, biquínis, etc.);
  • Evite banhos muito quentes, que podem ressecar a pele e eliminar as bactérias essenciais para a proteção do nosso corpo.

Lembre-se que o diagnóstico e o tratamento da Foliculite e outros problemas de pele devem ser realizados somente com orientação médica. Na presença de qualquer sintoma, agende uma consulta!

Continue acompanhando o Guia Make para mais dicas e conteúdos sobre cuidados com a pele, Cosméticos, Resenhas e muito mais!